DEFESA CIVIL DE MAIRIPORÃ PARTICIPA DE SIMULAÇÃO DE DESASTRE

Ação realizada em Francisco Morato somou forças de diversas equipes operacionais

Nessa sexta-feira (3), a Defesa Civil de Mairiporã participou do encontro de simulado de abandono de área de risco, no campo Hungareza, na cidade de Francisco Morato, oferecido aos municípios que compõem o Consórcio Intermunicipal dos Municípios da Bacia do Juqueri (CIMBAJU), além de Santa Isabel.
O simulado que envolveu 10 residências e 40 vítimas, sendo 3 óbitos, foi organizado pela Defesa Civil estadual em conjunto com a Defesa civil de Morato, numa área carente, com 84 moradias e 336 pessoas cadastradas, com características ideais para treinar as equipes operacionais das defesas civis, corpo de bombeiros, equipes de trânsito, enfermeiros e estudantes, policiais militares, técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de SP e o instituto Geológico, SAMU e outras autoridades participantes, como o Legislativo e o Executivo da cidade anfitriã.

Entre público e privado, mais de 200 agentes atuaram na ação, colocando em prática técnicas de resgates, buscas e interdição do local. A simulação foi narrada para que as equipes e os moradores da comunidade observassem o decorrer do treinamento.

“Fazemos de 5 a 10 exercícios no ano, em diversos regiões do estado, sempre em localidades que já vivenciaram a situação ou são áreas de risco. Esse simulado é fundamental, pois temos que engajar múltiplas equipes no resgate e evacuação. Por exemplo, hoje aqui são mais de 20 órgãos públicos e privados, cerca de 100 moradores coadjuvantes e voluntários, totalizando o envolvimento de aproximadamente 500 pessoas direta e indiretamente. Tanto as equipes de resgate quanto aos moradores necessitam de um treinamento para saber como agir numa situação de calamidade feito essa”, contou o capitão Mosna da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo.

Toda a simulação foi respaldada com segurança e baseada em situações reais que podem ocorrer num local que ofereça risco de deslizamento de terra. As defesas civis dos municípios de Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Cajamar, Mairiporã e Santa Isabel atuaram unidas, exaltando o lema de qualquer Defesa Civil.

“Temos um lema, de que a defesa civil somos todos nós, pois cada um desempenha um papel importante e nada disso seria possível sem as ambulâncias, trânsito, paramédicos, enfermeiros, médicos, bombeiros, militares, geólogos, conselheiros tutelares e os membros da Defesa Civil de cada cidade participante. Além do aprendizado, essa capacitação traz a certeza de que Mairiporã precisa de uma defesa civil preparada para salvar e preservar vidas de modo geral, seja vida humana, fauna, flora”, salientou a Defesa Civil de Mairiporã.

O treinamento ocorreu por cerca de 3 horas, mapeando e emitindo alertas via SMS, TV e mídias e serviu como referencial inicial para formatação futura de um plano definitivo de abandono emergencial de área. As equipes puderam criar aproximação com a comunidade, fazer um levantamento do perfil dos moradores, além da reunião preparatória com todos, incluindo os líderes comunitários para que tudo ocorresse da melhor forma possível.

“Tivemos a oportunidade de atuar numa situação de desastre, com deslizamento de terra, soterramento e o lugar e momento de errar é aqui no treinamento. Agora iremos nos reunir para fazermos uma análise coletiva do que foi positivo e negativo nessa simulação para aprimorarmos os próximos. Agradecemos a presença de todos que nos ajudaram na atuação das equipes operacionais”, disse o capitão Roberto, Comandante Regional do Corpo de Bombeiros, lotado em Caieiras.

Acesso Rápido

Skip to content